Ricardinhoa Machado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segunda, 04/07

Viva-Sao-Joao

 

Viva-Sao-Joao

Viva São João – Diretora da escola Shimaiá com as crianças na festa junina que movimentou o Canto da Lagoa no último sábado. (Pedro Machado/Divulgação)

 

Sem cobertura

Inauguração da cobertura do Mercado Público Municipal foi marcada por uma manifestação de agentes de saúde. Motivo não era o novo telhado do hall, claro, mas da “cobertura” salarial do pessoal da saúde e a péssima condição que se encontram os hospitais e as emergências da Grande Floripa. O governo que diz em campanha publicitária estar “cuidado da gente” continua de olhos fechados para a saúde. Nos últimos 10 anos a Capital ultrapassou os 300 mil habitantes e sequer um hospital foi construído pelo poder público. Sorte nossa a chegada do Medical Baía Sul vindo da parceria de dois abnegados médicos catarinenses: João Zunino e Irineu Brockbeck.

 

Com cobertura

Mas uma lástima. É o que podemos chamar da nova cobertura do Mercado Público Municipal. Ou um verdadeiro “trombolho” que não mais permite os frequentadores quando sentados nos bares centrais avistarem as duas torres. O projeto foi escolhido entre mais de 90 inscritos em licitação internacional. Mas que escolha hem!? Primeiro tiveram de fazer um aditivo, pois a lona transparente dos basculantes esquentava demais... não viram isso os “iluminados”. Também não viram que escondia parte do prédios histórico os tansos.

 

Cadê as torres

Jornalista Moacir Pereira, com muitos carimbos no passaporte e adepto da máxima que para conhecer uma cidade é preciso ir ao seu mercado, jamais viu uma cobertura tão grossa e fora do contexto do Mercado Público Municipal. Para ele um projeto que esconde as duas torres símbolos do prédio é ignorar a importância da bicentenária edificação.

 

Sem bolha

Só mesmo em Floripa. Enquanto a maioria das cidades tem em seus mercados uma cobertura em forma de abóboda arredondada e de vidro, no Mercado Público Municipal os “iluminados” resolveram inventar e fizeram a cúpula para baixo. Ao invés de uma bolha, um casco de navio.

 

Sem foco

Na sexta-feira de inauguração da nova cobertura do Mercado Público Municipal, que é um equipamento importante para os comerciantes e para os frequentadores (a crítica é em cima do projeto) prefeito César Júnior sentou-se para almoçar com convidados num restaurante do hall do mercado. Mas era lá no Box 32 que cerca de 10 jornalistas que formam opinião estavam conversando sobre a cidade. O prefeito perdeu de escutar poucas e boas.

 

Confraria 32

Confraria sem nome e sem compromisso do almoço das sextas-feiras no Box 32 reúne jornalistas, magistrados e profissionais liberais, como os irmãos Paulo e Sérgio da Costa Ramos, Raul Caldas, Luiz Henrique Tancredo, Moacir Pereira, Marcílio Medeiros, Tertuliano Xavier de Brito, o estimado Poliba, Georgino Mello e outros maiores de idade. Todos formadores de opinião e acima de 32... anos.

 

Village

A Lagoa da Conceição já tem o seu bairro Village, próximo ao LIC. Mas é no Centrinho que o bicho pega aos sábados quando todos “malucos belezas” veem às ruas. Sábado passado foi no Empório Mineiro, no Via Lagoa quando ao som do bluesman Mustache Maya e sua filha Gabriela deram um show internacional. Uma noite que lembrou Manhattan.

 

Escolinha do Canto

Uma festa de São João diferenciada foi o que se viu no sábado a tarde na escolinha Shimaiá do Canto da Lagoa. A diretoria envolveu pais e alunos numa peça teatral ao ar livre celebrando São João com direito a lanternas e fogueira acesa num ritual enaltecendo o elemento fogo e a data religiosa.

 

PT

Saudações. Pois até mesmo as lideranças do Partido dos Trabalhadores estão pensando em mudar o nome da legenda. Sugiro deixar a mesma sigla: PT – Partido das Tornozeleiras.

 

Música açoriana

Associação Coral de Florianópolis, com o apoio da Casa dos Açores de Santa Catarina, apresenta o primeiro Circuito Açoriano amanhã, às 20h30, na Igreja de Santo Antônio de Lisboa. O concerto é uma homenagem aos colonizadores açorianos que chegaram à Ilha de Santa Catarina entre 1748 e 1753 dando um rosto peculiar ao litoral catarinense. O concerto marca o primeiro evento desse projeto que vai abranger mais 10 localidades da Ilha.


PUBLICIDADE

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE