PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Trindade

Situado na região central da Ilha de Santa Catarina, aos pés do maciço do Morro da Cruz, o bairro Trindade é o segundo mais populoso de Florianópolis. Por conta da presença da Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), trata-se de uma região com aspecto jovial e vida cultural intensa. O Teatro da Ufsc, por exemplo, oferece espetáculos teatrais com preços acessíveis, além de diversas oficinas e cursos relacionados ao mundo das artes. Dentro do campus universitário há também um centro de cultura e eventos, com espaço para shows, além de uma praça de alimentação. Quase em frente ao Centro de Eventos fica a Concha Acústica, local onde ocorrem shows ao ar livre e o projeto 12:30. Devido à ampla circulação de jovens, o bairro possui uma vida noturna bastante agitada, com diversos bares espalhados ao longo da Rua Lauro Linhares. É também nessa rua que se localizam alguns dos principais estabelecimentos comerciais da região, como o Shopping Trindade e o Max&Flora Center. Outro traço marcante no bairro é a tradição religiosa. Todos os anos, durante a semana de celebração de Corpus Christi, a comunidade organiza a tradicional Festa da Santíssima Trindade e da Laranja. Promovida pela Paróquia da Santíssima Trindade, a celebração concentra-se na Praça Santos Dumont, onde são montadas várias barraquinhas com gastronomia típica, além de um parque de diversões.

Perpendicular à Lauro Linhares fica a Avenida Madre Benvenuta, via que corta a Trindade e o bairro Santa Mônica. Na parte ligada à Trindade encontram-se o Centro de Ensino da Polícia Militar, o Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires e o Paula Ramos Esporte Clube, que oferece uma série de opções de lazer aos seus membros. Há também a Gruta Nossa Senhora de Lourdes, construída pelas irmãs da Divina Providência em 1913 e tombada, em nível municipal, em 1987. Nas proximidades ainda podemos encontrar o campo da Gruta, onde fica localizada uma pista de skate. Mais adiante se encontra o Curiódromo da Ilha, o primeiro do Brasil, criado em 1980. Nesse espaço são promovidas exposições de animais, torneios de canto e palestras. Na Trindade fica um dos seis terminais do sistema integrado de transportes de Florianópolis, o TiTri, de onde é possível pegar ônibus para as regiões central, leste e norte da Ilha. O bairro também conta com o Hospital Universitário (HU), a 5ª Delegacia de Polícia da Capital, que presta atendimento 24 horas, o Centro de Ensino do Bombeiro Militar (CEBM) e agências dos principais bancos.
História
Nossa Senhora do Desterro, hoje Florianópolis, tinha grande importância estratégica no século XVIII. Os navios que realizavam o comércio entre o Rio de Janeiro e Buenos Aires, por exemplo, paravam na Ilha de Santa Catarina para abastecimento e só então podiam seguir viagem. Isso fez com que a coroa portuguesa tomasse uma série de medidas para a manutenção do território, entre elas a construção de fortes e o deslocamento de contingentes militares. Mais tarde, houve incentivo por parte do governo para que jovens casais açorianos e madeirenses se fixassem na região. O brigadeiro José da Silva Paes, então governador da província, determinou que um caminho fosse aberto até a lagoa que havia no centro da ilha e que os novos moradores fossem acomodados na região. Esse caminho atravessava um morro e passava pelos bairros que hoje conhecemos como Trindade e Córrego Grande.
Portanto, o primeiro nome da Trindade, Trás do Morro, fazia uma referência direta às características geográficas do novo lar dessas pessoas. Já o morro em questão mudou de nome diversas vezes ao longo do tempo: Morro do Antão, por conta de um açoriano chamado Antão Lourenço Rebolo; Morro dos Sinais e Morro do Pau da Bandeira, em referência ao mastro que ali foi colocado para avisar da chegada de embarcações; e, finalmente, Morro da Cruz, em razão da cruz que ali foi erguida em 1900. Na metade do século XIX, a localidade de Trás do Morro já era tão relevante que ganhou independência em relação à Paróquia da Capital. A partir daí, passou a ser chamada de freguesia da Santíssima Trindade de Trás do Morro e recebeu a missão de cuidar do atendimento eclesiástico no interior de Nossa Senhora do Desterro. Contudo, a Trindade não deixava de ter características rurais: predominavam na região as propriedades agrícolas e as pastagens destinadas à criação do gado. O bairro também servia de referência para o restante da cidade em termos culturais. Havia grande expectativa em torno da Festa do Divino Espírito Santo, que reunia pessoas de todos os cantos de Desterro. Além disso, ocorriam apresentações do Boi de Mamão e a Farra do Boi. Mais tarde, o futebol tornou-se mais um fio nessa teia de sociabilidades marcada por fortes relações de amizade e parentesco. A construção do campus da Ufsc, na década de 1960, transformou significativamente o cotidiano das famílias que viviam na Trindade. Vários empreendimentos de grande porte acompanharam a chegada da universidade e, pouco a pouco, vários novos moradores passaram a habitar a região. Em questão de anos, as grandes chácaras e os festejos populares deram espaço às ruas, prédios e festas universitárias que conhecemos hoje.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE