Quem foi Delminda Silveira? | Guia Floripa
PUBLICIDADE

Quem foi Delminda Silveira?

Delminda Silveira de Sousa nasceu em Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, em 16 de outubro de 1854. Filha de José Silveira de Sousa e Caetana Xavier Pacheco Silveira, Delminda pertencia a uma das famílias mais tradicionais da cidade e foi educada por professores particulares ao longo de toda a sua infância e juventude, recebendo lições de francês, latim e literatura. Passou a atuar no magistério ainda jovem, tendo ministrado aulas de francês e português no Colégio Sagrado Coração de Jesus - que era, à época, a escola católica voltada para meninas de maior destaque na capital. Paralelamente, começou a publicar textos em jornais e periódicos catarinenses sob pseudônimos masculinos, bem como a colaborar com revistas de circulação nacional que davam espaço às produções femininas. Em 1908, publicou “Lises e Martírios”, obra de grande apelo religioso. Seis anos mais tarde, lançou “O Cancioneiro”, coleção de hinos e poemas que celebravam alguns dos mais importantes eventos da história do Brasil. Por conta do teor altamente favorável à república recém-instaurada, o livro não apenas recebeu apoio do governo em sua publicação como foi adotado como leitura obrigatória nas escolas do estado. No ano de 1919, Delminda passou a colaborar com a Revista Ilustrada, tornando-se a primeira mulher de uma redação que foi composta, ao longo do tempo, por diversos nomes conhecidos em Florianópolis: Cruz e Sousa, Virgílio Várzea, José Boiteux, entre outros. Também foi a primeira mulher a ocupar uma cadeira da Academia Catarinense de Letras, o que ocorreu em 1921. Delminda Silveira publicou seu terceiro livro em 1931. Sob o título de “Passos Dolorosos”, a obra retornou às temáticas abordadas em “Lises e Martírios”. A escritora faleceu no ano seguinte, no dia 02 de março. Por conta de sua notoriedade, recebeu diversas homenagens e nomeou escolas, ruas e a biblioteca do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Seu último livro publicado, “Indeléveis Versos”, só chegou às mãos do público em 1989.


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE